Entrevista: Frank Gibson

Entrevista: Frank Gibson fala sobre O Incrível Mundo de Gumball
Por Tony “G-Man” Guerrero, 24 de junho 2014

A séria de animação de grande sucesso está a chegar às livrarias mais próximas de si. Descubra o que poderá esperar desta série.

Se já assistiu a algum episódio de O Incrível Mundo de Gumball, então sabe que as coisas podem ficar muito loucas. Não existem limites para a hilaridade ou situações estranhas. O programa de TV está agora em banda desenhada, graças à Boom! Studios, os seus fãs vão adorar. Para os que nunca viram esta série, podem também mergulhar nesta aventura e divertirem-se muito.

Na edição desta semana, conversamos com o escritor Frank Gibson para descobrir como é a adaptação dos personagens e o que se pode esperar desta série.

COMIC VINE: Como poderia descrever O Incrível Mundo de Gumball para aqueles que nunca viram a série?
FRANK GIBSON: Em primeiro lugar, todos deveriam assistir a série, porque é mesmo maravilhosa. Gumball é uma série que fala sobre um gato e um peixe que são os melhores amigos e também irmãos (uma espécie de…). Mas, a série não é somente sobre isso, é sobre a sua família, amigos e a sua estranha pequena cidade, representados através de estilos impressionantes da arte do contraste. É o desenho animado mais engraçado da televisão na atualidade.

CV: Como se tornou escritor de banda desenhada?
FG: Fiz webcomics durante muitos anos. Sou mais conhecido pela maioria das pessoas devido ao comic Tiny Kitten Teeth, uma banda desenhada escrita por mim e pintada à mão pela minha parceira Becky. Foi assim que entramos em contacto com a Boom!, desde então tenho escrito: Adventure time 2014 Annual, Back-up Stories e Bee and puppyCat (todos banda desenhadas e séries de TV). Quando surgiu a oportunidade em participar numa audição para escrever o novo livro do Gumball, não hesitei e saltei de cabeça nesta oportunidade, escrevi uma amostra de um script. Estranhamente, as pessoas gostaram! Eu sou um grande fã da série então fiquei super feliz! Hurra! Agora, trabalho com o meu amigo Tyson (Hesse) também, que é o melhor de todos.

CV: Escreveu algumas adaptações de desenhos animados, tais como: Hora de Aventuras, Bee and puppyCat e Os Simpsons. É desafiador capturar a essência das personagens e trazê-la para o meio impresso sem ter a voz dos atores para apimentar as coisas?
FG: É realmente complicado. Muitas pessoas tentam passar por cima para capturar os acentos e a forma de texto, reutilizam as linhas reais da série, etc. Penso que a primeira coisa a fazer quando se trabalha num livro como este é, querer capturar a essência do desenho animado e não ser minucioso. Podemos divertir-nos enquanto exploramos os detalhes da série que ainda não foram explorados. Mas isto não são desenhos animados e sim banda desenhada, e é sempre diferente. Tem mesmo que ser.

CV: Qual foi a personagem que mais gostou de escrever n’O Incrível Mundo de Gumball?
FG: Richard é uma personagem perfeita, ele é tão feliz, encantador e pateta. Isso também o torna mais difícil de escrever porque ele é muito bom. Eu também gosto muito de escrever as falas de Anais.

CV: O que podemos esperar na primeira edição?
FG: Explosões, carros, um dinossauro, ossos partidos, animais fofinhos, e tudo o mais que possa querer.

CV: É uma história completa na edição?
FG: Claro que sim! Estou ansioso por cortar algumas pontas soltas em algumas vinhetas, mas essas questões vão se desenvolvendo ao longo das histórias.

CV: Quão loucas as coisas vão ficar nesta série?
FG: O mais louco possível, Vocês não tem ideia! Tyson continua a empurrar arte no livro, o que me faz querer vir por cima com coisas maiores e mais loucas. Talvez isso dificulte a sua vida. Pobre Tyson.

Fonte